Sangue nas mãos

Andava pela Rede a chorar o fim do Minho juntamente com outros bloggers quando dou com esta notícia. Segundo a Rádio Fundação, uma das facadas espetadas na região tinha impressão digital vimaranense.

É que o Centro Histórico de Guimarães vai integrar a Rota do Património Mundial, juntamente com o Porto, o Douro, o Côa e Salamanca. Faz parte da história: Guimarães sempre esteve do lado do Porto quando a contenda caía para o bairrismo. Mas desta vez a estratégia pode revelar-se um fracasso, porque Guimarães fica apertada no meio da oferta portuense e espanhola.

Resta-nos aproveitar a oportunidade. E recordo o que escrevi
aqui em Outubro, quando sugeri que Guimarães fizesse força para ser a sede da nova região de Turismo do Norte. É a única forma de não nos apequenarmos.

Escrevi na altura: “Em Braga a sede não fica, porque
não a querem lá. Viana do Castelo já está a preparar terreno para a receber. Aliás, a acreditar nas últimas notícias, começa já a ganhar posição nesta corrida. Mas Rui Rio, promete não entregar de mão beijada uma estrutura a que acredita ser direito do Porto”.

E sublinho que esta era mais uma boa oportunidade para recuperar mais um imóvel marcante da cidade: a casa brasonada das Hortas, onde era suposto ter sido instalado um hotel em 2004.

1 reacções:

sicgloriatransitmundi | 14:22

O tal quadrado minhoto de que falamos em 1/12/2007 (com Guimarães, Famalicão, Barcelos e Braga, em termos culturais) passa a ser um quadrado transfronteiriço turístico com Guimarães,Porto,Côa e Salamanca...

Não sei se será tão mau como isso. Em termos turísticos poderemos ganhar muito, desde que saibamos aproveitar a oportunidade que nos é aberta. O que é preciso é não deixarmos que nos passem para 2º plano!

Pessoalmente preferia a opção minhota, mas compreendo que se queira aproveitar a oportunidade.