Eu pensava que a incompetência tem limites. Mas afinal enganei-me.

7 reacções:

Alter Ego | 15:52

Também acho que tem, mas não sei se estou a ver muito bem a que é que se está a referir. O texto é fraquito, o autor tem um sério conflito com as vírgulas, usa um 'da' onde pedia um 'na'. Nada de anormal, vindo de onde vem. Ou será que há algo que não estou a atingir?

Samuel Silva | 18:21

As vírgulas fora do lugar já nem dou conta delas. Acho que o meu cérebro já processa de forma diferente assim que digito o endereço em causa.

A questão aqui é confundir procissões. O dito Senhor é enterrado na sexta-feira santa. No dia em que morre, portanto. Sepultá-lo hoje era obra, digo eu, já que ainda nem sequer entrou em Jerusalém (o que deve acontece de hoje a uma semana).
Bem sei que ninguém é obrigado a conhecer toda a rituazação católica. Mas os jornalistas querem-se informadores e não deformadores.
E quando não sabem, perguntam, não é assim?

Alter Ego | 20:43

Eh pá, isso de enterrar o homem vivo não lembra nem ao diabo... a asneira é tão crassa que jamais admitiria que fosse possível e, vai, nem a li quando a li.

casimiro silva | 23:55
Este comentário foi removido pelo autor.
casimiro silva | 23:57

Amanhã já vai estar emendado e a culpa vai ser tua. Devias avisar antes de escrever o que quer que fosse. Vê lá se não vais ser acusado de estar a plagiar!

Samuel Silva | 12:14

E não é que está mesmo?
Hoje a notícia aparece supreendetemente corrigida e a procissão do Enterro do Senhor passou a ser procissão do Encontro.
E isso sem uma indicação de edição da notícia como se exigia.
Mas a ética é servda em doses diferentes de um órgão de comunicação para outro.

casimiro silva | 12:19

Eu avisei. Porque sei muito bem como funcionam as coisas por ali. O curioso é que são os outros que copiam notícias, não citam fontes nem valorizam o trabalho da casa.

Percebes agora como funcionam certas lógicas?