A CEC e a arquitectura (2)

Depois do meu texto sobre o tema, a que o Pedro Morgado deu eco no Avenida Central, a Cláudia Rocha Gonçalves, no seu "Entre Avenidas" do mesmo blogue discorda da minha opinião.
Apesar dos pontos de vista divergentes, aconselho vivamente a leitura ao artigo. É mais uma posição interessante para este debate que me parece fazer particular sentido na cidade e na região.
E, por muito que não vá a tempo para 2012 (os projectos estão praticamente fechados), pode abrir perspectivas interessantes para a próxima década.

1 reacções:

Paulo Lopes | 19:42

Vem um pouco de encontro àquilo que te disse no outro post. Não precisamos de grandes edificios marcantes se recuperarmos a cidade que temos. Primeiro, porque iriamos estar a dar uma utilização a esse espaço que podia estar num edificio a cair, e depois porque se nao o fizessemos, um novo espaço seria inutil.