Política de Paróquia

Li há dias que a junta de Urgezes nomeou uma comissão para defender os limites geográficos da freguesia. É a política de paróquia, tão cara a este país, no seu pior.
O presidente da junta diz que vai "lutar por aquilo que é da freguesia há anos" numa espécie de declaração pós-moderna de resistência às invasões bárbaras. Com a diferença que Urgezes quer "proteger-se" dos vizinhos de Creixomil, outra freguesia da cidade de Guimarães.
São ambas localidades predominantemente urbanas, que fazem parte de uma cidade de média dimensão, pelo que não se percebe esta batalha geográfica. A não ser pelos motivos óbvios: um populismo desconcertante e uma manobra serôdia para entreter meia-dúzia de eleitores.
Tudo isto seria evitável se a organização política e admnistrativa do país fosse corajosamente uma prioridade da reforma do Estado. Guimarães - e as cidades da sua dimensão - cresceram nos últimos anos, alragando-se a freguesias outrara rurais, mas hoje perfeitamente diluidas na malha urbana. Mas o mapa das freguesias mantém-se o mesmo há dezenas de anos. É absurdo.
Fazia mais pelo país uma reforma do mapa das freguesias - e de alguns concelhos - do que boa parte das obras públicas.

13 reacções:

Tiago Laranjeiro | 17:09

Urgezes, essa bela localidade...

A freguesia que vai da Avenida D. João IV até ao cimo da Penha!

Já agora, quais são os terrenos em causa?

Cláudio Rodrigues | 18:05

Não percebo a necessidade da comissão, mas também não entendo o porquê deste território passar para uma freguesia vizinha... Porque não começar pelas três freguesias da cidade, então?

(A Urgeses perder território perderá grande parte do Salgueiral e as áreas mais urbanas, como a dos hotéis, do CCVF, estação e afins... Trata-se de delimitar pela rodovia, ou seja, pela linha do comboio, vá, e são realmente muitos eleitores a menos. E estudantes para as escolas também.)

Dario Silva | 18:39

Guimarães já tem tema quente para as eleições de 2009.
À falta de melhor, temas paroquianos..

Samuel Silva | 23:05

O espaço urbano devia, pura e simplesmente, ser integrado numa área administrativa que agrupe a cidade e acabe também com as freguesias do centro da cidade. Em Guimarães como na maioria das cidades.

Gisela Rodrigues | 11:52

O que fazem as freguesias da cidade?...Se calhar é a Câmara que faz não?! Então sim, para quê freguesias na cidade!?Poupava-se algum dinheiro...

Paulo Lopes | 16:27

Freguesias da cidade para tirar da câmara o peso das pequenas obras do centro da cidade, tal como tira nas outras freguesias do concelho. Política de proximidade no governo do país. é uma opinião.

Quanto aos limites, e à luta por eles, pura parolice...

Tiago Laranjeiro | 16:31

Spicka, pelo que percebi o problema é com a junta de Creixomil, logo não estarão em causa os limites com São Sebastião, da parte de cima da Avenida D. João IV e da zona da Rua Paulo VI. Já agora, a maioria dos estudantes da Egas Moniz (uma das duas escolas EB2,3 da freguesia de Urgezes) não são dessa freguesia...

Em causa estará uma parte, que me parece que será a menor, do Salgueiral. Essa sim é a zona que faz fronteira entre Creixomil e Urgezes.

Cláudio Rodrigues | 18:55

Tiago, se Urgeses perder parte do Salgueiral muito provavelmente deixará de ser uma freguesia urbana... (O que, às tantas, nem é assim tão mau de todo.) Mas isto sou eu a supor, a notícia não noticia quase nada, nem se sabe ao certo qual a terra e quantos habitantes se "perdem". Mas, por mim, sinceramente tanto me faz se os limites acabam aqui ou ali.

Quanto aos alunos da Egas Moniz, também não devem ser de Creixomil, certo? Duvido que não tivesses percebido o que quis dizer...

Samuel Silva | 19:07

Não, Cláudio, Urgezes manteria quase toda a sua área urbana: Avenidas D. Afonso Henriques e D. João IV em quase toda a sua extensão, bem como a Rua Paulo VI e zona envolvente do CCVF.

Cláudio Rodrigues | 19:11

Então qual é, afinal, o benefício em parte do Salgueiral passar para a administração de Creixomil?

Samuel Silva | 19:15

Porque todo o resto do Salgueiral é Creixomil. É uma urbanização (o termos já caiu em desuso) que tem uma coerência interna e que faz pouco o sentido espartilhar, creio.

Cláudio Rodrigues | 19:22

E Mascotelos?

Tiago Laranjeiro | 22:22

Cláudio, o Salgueiral não vai até Mascotelos, pelo menos nos limites que eu lhe conheço...

Pelo que estou a ver, numas pesquisas na net, a zona em causa nem sequer terá muita população, visto que o grosso do Salgueiral, tanto quanto posso apurar recorrendo ao Google Maps e aos CTT, está todo na freguesia de Creixomil.

Já agora, é de mim ou a Av. D. João IV é o único arruamento da cidade que tem uma rotunda a meio?