Do lixo

Se há coisa que me faz confusão, é sair de casa à noite e ver o extremo da minha rua pejado de lixo. Em sacos, é verdade. Mas aos moradores não resta outra alternativa se não a de o colocarem mesmo no meio do passeio. É o local estabelecido há anos para o depósito dos resíduos.

As duas ou três horas que medeiam a normal hora de depósito dos sacos e a recolha pelo pessoal do município promovem uma visão lamentável da cidade e nada consentâneo com a ideia de modernidade que a autarquia tem reivindicado.

Seja no Largo República do Brasil, na Avenida D. João IV, na Avenida D. Afonso Henriques, um pouco por todas as artérias centrais da cidade, o lugar de deixar o lixo é no meio do passeio.

Uma cidade que foi tão expedita em guetizar os vendedores ambulantes das festas da cidade com a desculpa do “mau aspecto”, não será capaz de investir uns milhares de euros para resolver este vergonhoso “ponto negro” da nossa fruição urbana?

4 reacções:

SicGloriaTransitMundi (Miguel Silva) | 10:48

Samuel:

Já estava para fazer o mesmo género de reparo no meu espaço há algum tempo.
Uma cidade que é Património Mundial, vai ser Capital Europeia da Cultura em 2012, não pode dar esta triste imagem aos que nos visitam!

Justiça seja feita que a cidade já esteve bem mais suja do que hoje em dia, mas este é um trabalho que não deve parar.

Tiago Laranjeiro | 14:21

Levantas aqui uma questão muitíssimo pertinente. E a feliz comparação que apresentas faz todo o sentido.

Sei que não deve ser uma questão de fácil resolução: parecendo que não, instalar ecopontos e mesmo depósitos de lixo ocupa bastante espaço.

Lembro-me de, há uns tempos atrás, se ter gerado uma discussão entre os vereadores da Câmara precisamente por causa dos ecopontos, mas do centro histórico. Aí, o problema é ainda mais gritante, pois trata-se de uma zona reconhecida como património da humanidade, e o lixo permanece nas ruas.

Anónimo | 15:18

O lixo nas ruas torna este pitoresco Portugal mais autêntico...

Anónimo | 15:48

Esta semana, não sei se do calor ou se de algum contratempos, a cidade mais parecia Milão, com um cheiro nauseabundo colado às ruas e praças...

Quanto aos vendedores das Gualterianas: em boa hora a câmara tomou essa medida.