Teatro: Dúvida

CCVF, 22h00, amanhã.

19 reacções:

sicgloriatransitmundi (Miguel Silva) | 15:47

Não há dúvida mesmo nenhuma!!!

Miguel | 19:14

Já está mesmo esgotado??!

Samuel Silva | 03:03

Está sim. Pelo menos foi o que me disseram hoje no CCVf.

sicgloriatransitmundi (Miguel Silva) | 10:19

É sempre bom quando a principal casa de espectáculos da cidade enche completamente!

Só é pena o público só aderir em massa quando em causa estão nomes mais conhecidos!

A cultura em Portugal não é só feita por aqueles que são mais conhecidos nas tv´s e revistas!

Samuel Silva | 11:56

Totalmente de acordo, meu caro. Se o Diogo Infante a a Eunica Muñoz nao fossem as caras conhecidas das novelas, programas de TV e outras polémicas, dificilmente a procura seria a mesma. Valha-nos que, pelo que já li, a peça é mesmo boa e não vale apenas pelas caras famosas.

acordem | 01:20

gostava de vos ver aplicar essa teoria em tudo. Compra mas depressa sapatilhas Nike ou Marlis ?

José Fernandes | 13:06

Esgota facilmente, basta que haja qualidade e alguma publicidade.

sicgloriatransitmundi (Miguel Silva) | 22:01

A questão da qualidade/publicidade não se põe...

Já assisti a espectáculos fabulosos no CCVF com artistas que nem cá em Portugal são conhecidos!!!

É tudo uma questão de mania...Parece que um espectáculo só é bom se tiver actores conhecidos!

acordem | 00:16

o sicgloriatransitmundi está sempre a fazer publicidade ao sitio onde trabalho e nem por isso aquilo enche :)
Não concordo nada: "Só é pena o público só aderir em massa quando em causa estão nomes mais conhecidos! A cultura em Portugal não é só feita por aqueles que são mais conhecidos nas tv´s e revistas!"

voces compram mais depressa sapatilhas Nike ou Marlis ?
Eu acho as Marlis com muita mais qualidade.

acordem | 00:17

correcção: "ao sitio onde trabalhA" e não "ao sitio onde trabalho". Tomara eu um regalo público ...

Samuel Silva | 11:40

Se cultura e sapatilhas podem estar no mesmo saco então alguma coisa não bate certo.

acordem | 22:59

se não percebeste a comparação (cultura versus produto) não percebes nada

Samuel Silva | 10:42

Comparar cultura e mercadoria é desde logo partir de uma falácia. São duas realidades diferentes na essência, logo incomparáveis.
Compará-las é reduzir a cultura ao valor de um par de sapatos. O que não é a minha visão.

acordem | 02:20

produto cultural significa pra ti alguma coisa ?
Não. Estamos falados.

Samuel Silva | 11:02

1. Não sou dos que olha para a Cultura como indústria, logo a designação produto não faz sentido sem ser nesse âmbito.

2. A lógica dominante, bem sei, é a da cultura como indústria.

3. As regras do jogo nas indústrias culturais não sas as mesmas das indústrias de massas, chamemos-lhe assim. A lógica de um produto cultural não é a mesma de um prodtuo de mercadoria. Um produtor (e um progrmador) responsável não o faz para vender e obter lucros, como noutra indústria, mas tem um missão a desenpenhar de promoção (e produção). Que passa pela qualidade .

acordem | 18:00

Já não vais lá. Em vez de acordem deveria ser ACORDA !!!

Samuel Silva | 20:42

Quando eu pensava que íamos ter uma discussão sobre diferentes visões sobre a cultura, afinal foi uma tentativa desenxabida de provocação. Paciência!

acorda | 00:02

não reunes os requisitos minimos. és como os computadores, precisam de requisitos mínimos para os programas funcionarem se não dá barraca.

Samuel Silva | 12:57

Requisito mínimo seria, talvez, dizer amem às barbaridades que veio para aqui atirar? Talvez...

Requisito mínimo para uma boa discussão é haver argumentos de ambos os lados, o que manfestamente não aconteceu. Também costuma funcionar melhor quando os interlocutores não se escondem atrás de pseudónimos paternalistas.