A Manta cresce

Cibelle, Balla, Tora Tora Big Band e a auto denominada "banda de metais mais rapida do mundo", Fanfare Ciorcalia fazem parte do cartaz do Manta, o ciclo de concertos na relva no Centro Cultural de Vila Flor. Além de dar um (excelente) nome a uma iniciativa que, já no ano passado, tinha trazido ao CCVF boa música, a organização dá dimensão ao festival, com um cartaz eclético e que se prolonga durante todo o mês de Julho.
Depois do jazz no café concerto e de uma boa programação no último trimestre, o CCVF dá mais um passo firme. Esperemos que seja para continuar.



4 reacções:

Anónimo | 12:10

Só para te informar que o teu VITORIA está a uma vitória de ser campeão nacional de juvenis.
Proximo encontro é com o sporting e la temos nós de domar o leão

Ergolas | 12:11

Não será este elogio um pouco exagerado, amigo Samuel?

Apesar de tudo, há que reconhecer uma certa melhoria na programação no último trimestre, talvez fruto do aumento orçamental que A Oficina teve.

Já agora, quando estará pronto o estudo encomendado pela CMG sobre melhor modelo de gestão para o CCVF? Por este andar, nem em 2012...

Samuel Silva | 12:36

Nada exagerado, meu caro. Não faço um elogio eufórico à iniciativa, mas defendo que é uma excelente ideia, que este ano ganha dimensão.
Vê por exmplo, os comentários na ntícia do Blitz para a qual linko, para veres como o malta da música reagiu à programação.

Se a melhoria da programação do CCVF se deve a um aumento do seu orçamento, parabens a quem assim decidiu. Não se fazem omoletes sem ovos. E se queremos um Centro Cultural com uma programação atractiva temos que lhe dar as armas para que isso seja possível.

Quanto à matéria política à volta da questão: tenho as mesmas dúvidas que tu. A Oficina, se a memória não me falha, seria responsável pela gestão do CCVF por um período de seis meses, até definição de um modelo definitivo para a sua gestão. Mas já lá vão quase dois anos e não há novidades...

Ergolas | 13:46

Quanto ao elogio, referia-me à "boa programação no último trimestre" e a "mais um passo firme [do CCVF]", e não tanto ao conjunto de espectáculos Mantra, que são, sem dúvida, uma óptima iniciativa.

Não sendo este o caso, lembro que uma boa iniciativa não significa boa programação.