Sensibilidade e bom senso

Começa hoje o Barco Rock Fest. O festival feito gratuitamente por uma dúzia de amigos das Taipas, que se reúnem no Movimento Artístico Taipense (MAT).


Desde 2006 que este festival cresce a olhos vistos, quase sem apoios. Há dois anos o festival já prometia. No ano passado cumpriu. Passaram por lá, por exemplo, os autores de um dos melhores discos do ano 2008, os peixe:avião, num cartaz de boa qualidade.


Em 2009, a aposta é mais forte. Os cabeças-de-cartaz são uma das melhores bandas nacionais. No sábado, aos Wraygunn juntam-se doismileoito e os vizinhos mui irónicos Smix Smox Smux, e ainda Abandon Mute (sedeandos no Reino Unido, mas com músicos portugueses) e os vimaranenses Let the Jam Roll.


Na sexta-feira haverá Cratera, If Lucy Fell, a energia contagiante de d3ö e Born a Lion, com Sean Riley (que em Paredes de Coura voltaram a mostrar que estão cada vez melhor) a fechar. O festival prolonga-se, no entanto, por cinco dias, entre hoje e domingo, com bandas locais, dj’s e cinema, em parceria com o Cineclube.


Mais: O MAT tem por objectivo integrar a programação da Capital Europeia da Cultura de 2012. Pelo que têm feito sem dinheiro, parece-me que o merecem. E dizem que, se os deixarem, farão um dos cinco maiores festivais da Europa desse ano na praia fluvial de Barco.


Só que tanta ambição e qualidade são traídas por uma estranha insensibilidade da Câmara de Guimarães. O único apoio que a autarquia dá ao Barco Rock Fest são 5000 euros (mil dos velhos contos) e até os TUG estavam indisponíveis para ostentar publicidade.


É estranho. Tanto mais que o Barco Rock Fest teve, no ano passado, 3700 pessoas. São quase cinco vezes o CCVF com casa cheia no Grande Auditório. Em cinco dias… E a Manta desse ano teve pouco mais do que isso.

1 reacções:

Pantic | 23:58

É incrível os TUG não poderem fazer publicidade. Já devem estar bem vendidos esses espaços. Os TUG até deveriam estar disponíveis para fazer a viagem Guimarães até ao local do evento e vice-versa. Li uma entrevista dos organizadores no público, em que pensavam em 2012 terem um dos cinco melhores festivais da Europa. Para isso a CMG deveria e vai ter que investir muito mais, até porque um bom festival aqui, só divulgará e muito o nome de Guimarães. Boa sorte à organização. que tem conseguido melhorar o evento ano após ano.