Um funeral?

Mas será que está tudo louco? Um grupo de comunicação social de Guimarães (aquele que tem o monopólio da rádio, jornais, sites informativos e ainda uma revista cor-de-rosa e uma agência de comunicação) está a sortear um funeral. O feliz contemplado com o cupão vencedor (para ter o cupão basta adquirir a edição desta semana de um dos jornais do grupo) terá direito a um serviço fúnebre completo (falta esclarecer se com campa incluída), que deverá reclamar até ao 90º dia após o sorteio.

Será que se acabaram as boas ideias? O que é que o grupo Santiago ganha com isto a não ser má publicidade e uma imagem claramente degradada?

41 reacções:

Anónimo | 18:28

outro com dor de coto...

também não conseguiu lá um emprego foi? à semelhança do seu ilustre amigo dono de cá do burgo?

Tiago Laranjeiro | 18:59

Caro Sr. Anónimo,

Para que conste, ainda estou a estudar, pelo que não comecei a procurar emprego. Para além disso, a minha formação é noutra área que não o jornalismo.


Interessante como, sempre que se tece qualquer crítica a alguns jornais da cidade, vêm logo anónimos comentar...

Dario Silva | 19:07

Não percebi.
Como vou eu reclamar o prémio num prazo de 90 dias se eu não eu tenho outros planos para os próximos 91 dias?

Dario Silva | 19:10

ah, viva os anónimos.
Dizem que o futuro pertence aos insectos... eles estão por todo o lado!

Tiago Laranjeiro | 19:31

Exacto. Este concurso tem contornos muito, digamos, excêntricos.

É uma operação de marketing, e nisso talvez tenha sido bem sucedido, uma vez que pôs o Grupo Santiago nas bocas do "mundo". Ainda ontem o JN fazia uma notícia sobre isto, e por Guimarães é assunto corrente por estes dias. No entanto, se fosse um dos accionistas do grupo não ficaria muito contente. Uma coisa é boa publicidade, outra é má publicidade; os efeitos são completamente distintos. Ambas podem resultar num aumento de receitas para o grupo, mas penso que a segunda traz a prazo mais prejuízos que ganhos.

Samuel Silva | 19:39

E estive eu de folga todo o dia. O que andei a perder :)
É caso para dizer: "Não é só música, é magia!"

Samuel Silva | 19:46

Qualquer dia a Vimágua oferece uma inundação! :)

Anónimo | 20:36

Ó rapazinho, vê lá se não apareces com um olho negro um dia destes...

casimirosilva | 21:46

Há coisas tão estranhas daquele lado das Hortas não há? Parece que o homem que liga para os telemóveis de toda a gente a chamar filho da puta a torto e a direito que também quer mandar na blogosfera. Já é demais! E depois, os vimaranense já sabem onde vão dar as ameaças dos moços de recados dele...

Miguel Rodas | 21:55

Alguém quer comprar um jornal a meias?
Se ganharmos o prémio depois dividimos o caixão..

António Castro | 22:28

Não vale a pena perder tempo com os medíocres daquele grupo que soltam os cães anónimos quando sentem a crista dorida.

Pedro | 23:24

Caro Casimiro Silva, para quem acusa, o que quer que seja, vir para a net escrever o que acaba de escrever... Não sei mesmo o que será pior.

Triste.

Samuel Silva | 01:29

A discussão em torno deste post atingiu um nível degradante. Por isso impõe-se uma intervenção e uma posição da parte dos colaboradores do blogue.

1) Praticamente todos os comentários anónimos deste post foram excluídos pela administração. Se por um lado não acrescentavam nada à discussão, por outro limitavam-se a aludir a questões que em nada estão ligadas ao tema.

1.1)Mantém-se o primeiro comentário anónimo por a ele já ter respondido o Tiago. Mantém-se igualmente o segundo - uma ameaça cobarde e idiota - como forma de mostrar a insensatez de quem ousa por em causa a nossa liberdade.

2)A história em causa é boa, como perceberam os diversos órgãos de comunicação social nacionais que a ela se referiram. O Colina Sagrada, através do Tiago Laranjeiro, fez o mesmo, emitindo uma opinião sobre o caso.

3) Quem não reconhece legitimidade as opiniões dos outros não deve sequer frequentar a blogosfera, já que esse é um dos princípios que norteiam todas as formas de comunicação.

4) A forma como os comentários dos diversos blogues e jornais que se referiram ao caso evoluiram mostram lógica claqueira e a baixeza de nível que só devem envergonhar quem os faz e quem deles se socorre para se defender.

5) O Colina Sagrada continuará a pronunciar-se sempre que assim se revelar oportuno sobre este ou outro grupos de meios de comunicação social vimaranense.

Ricardo Figueiredo Lopes | 01:45

Parabéns pela tomada de posição da Colina aos ignóbeis e cobardes ataques e ameaças.
Quem não reconhece legitimidade às opiniões dos outros não deve frequentar a blogosfera nem ser dono de órgãos de comunicação social.

Marco bem vindo | 01:55

Terão eles previsto que o prémio pode sair à casa ?

casimirosilva | 09:50

Senhor Pedro, eu não acuso, constato a gravidade de uma situação de que fui vitima. É triste? É sim senhor, mas infelizmente, é verdade. Triste verdade.

Pedro | 10:25

É triste é a figura que resolveu vir fazer para a net para "socorrer" um familiar. Já me parece suficientemente crescido para resolver isso pessoalmente, ou por outras vias, ao invés de se colocar nesta situação, de menino a quem lhe chamaram nomes e vêm à professora a chorar dizer.

Em Guimarães, há, sempre assim foi, um grupo, pequeno, de pessoas que se acham mais inteligentes que os outros, que no fundo pensam que eles é que estão sempre cheios de razão. E o que constato é que aqui, muito mais do que opiniões, se dão certezas irremediáveis e, que depois fecham a discussão, apenas salvaguardando aquilo que lhes interessa para proveito próprio, o que, diga-se uma vez mais, é triste.

Pedro | 10:28

E já agora, sabendo-se dos atritos, públicos, fica-lhe mal caro Samuel (e ao pai também) este circo constante neste blogue, sempre atacando o mesmo grupo.

Samuel Silva | 13:00

Eu convidava o Casimiro a contar a história toda. De uma vez por todas acabam-se as meias palavras e as pessoas ficam a saber de que massa se fazem as pessoas.

O Sr. Pedro, que eu não conheço nem sei se existe porque o perfil não autoriza, devia pensar antes de falar. Neste blogue já elogiei trabalhos do grupo Santiago (até muito recentemente) tal como já critiquei outros grupos.

E essas acusações de elitismo são delirantes. É um insulto acaso chamar a alguém elitista? Ou é preferível ser parolo, pimba e ter mau gosto?

Exijo-lhe também que peça desculpa pela insinuação do último comentário.

Paulo Lopes | 13:21

Ora bem, estive calado durante algum tempo enquanto assistia ao espectáculo habitual que se gera quando se fala de certas pessoas em Guimarães. Quando o assunto é Grupo Santiago é certo e sabido que os "cães de fila" estão de teclado pronto a defender a dama.

Como é meu hábito esqueço que os anónimos passam cá. A falta de coragem de colocar nem que seja um nome em insultos e ameaças diverte-me.

Mas criou-se toda uma outra situação à volta da questão. E é aqui que partilho da opinião do Samuel: Casimiro, sem medo conta aqui a história. Para que parem os argumentos vazios e para que toda a gente veja aquilo que é a política daquela casa. Que não aconteceu apenas contigo, mas isso quem quiser que venha também contar.

Depois centro-me no "não"-anónimo Pedro. Pelo menos tem um nome! Antes de mais reveja todo o ridiculo, mentiras e meias-verdades com que pintou a sua imagem e vinda a este blogue. Antes de mais colocar o nome familiar no que quer que seja É logo motivo para que lhe exija respeito e portanto que retire o que disse. E depois o tal ridiculo: reparou que este é um blogue colectivo e que o Casimiro veio comentar um texto de alguém que não lhe é sequer família? Pois, não veio ajudar ninguém da família como diz.

Depois deixe-me que lhe diga:Se sou Mais inteligente demora mais tempo a perceber, mas mais atento que o Pedro sou, pelos vistos. Mas o facto de achar que a crítica, com direito a opinião no espaço de comentário em que escreveu é uma "certeza irremediável" sem direito a discussão, já me deixa a antever que a existir um tal grupo de pessoas de que fala, o Pedro nunca poderia fazer parte dele.

Pedro | 13:23

Insinuação? Facto, meu caro!
Naturalmente que não lhe devo qualquer pedido de desculpas.

O Samuel acha-se é o maior cá do burgo, sempre com uma escrita arrogante, de quem se acha sempre dono da razão, com o rei na barriga e o nariz empinado. E sabe? Isso é o mais pimba e parolo que encontro no meio desta conversa toda.

Boas escritas.

Samuel Silva | 13:26

Circo: É um facto? Não estou a ver que artista serei eu, mas a sua habilidade para escapar à critica foi de malabarista.

Aceitar opinião contrária é achar-se o maior de algum lado? Se eu fosse o maior tinha tornado o blogue colectivo, por exemplo?

Pelo menos de uma coisa tenho a certeza: a gente de bem que nos lê percebe o nível de quem se furta a argumentos e parte para o insulto.

Anónimo | 13:27

se ele voltasse a escrever pa Guimarães era o melhor. Tão certo como eu chamar-me anónimo. Os outros são tão fracos, oh Pedro.

Anónimo | 14:10

O que um simples funeral origina. Uns acusam os outros de soltaram os "cães de fila", mas não se coíbem de também os soltar para acusarem os outros.

Já não se pode morrer em paz... ehehe

Hugo Monteiro | 16:27

Aqui vai um comentário de um grande amigo meu, adaptado a esta situação em concreto:

«Um dia acordei e resolvi vir morar para Guimarães. Salutar decisão? Quiçá... Como disse um dia Cavaco Silva, a respeito do projecto-lei do novo regime de financiamento das autarquias: "Car**** lá me f*** esta m****!!"

Agora que despejei o palavreado caro, que vos parece tão afecto, necessidade básica de gentinha que se quer fazer gente (passe, à primeira vista, a redundância), deixem-me fazer um esclarecimento: provincianos, cães de fila e todos esses pseudo-ajuntamentos de massas que não passam duma ridícula tentativa de legar ao mundo o vosso cheiro a chulé. Porque, na realidade, as vossas quesílias não passam disso: de uma geração filha de sopeiras que herdou o gosto pelo pé-de-chinelo. E metam muitos dildos num sítio que eu cá sei.»

Perdoem a brejeirice, mas foi a única forma de expressar o meu desdém por essa escumalhada que anda praí a ameaçar pessoal em blogues. E viva a liberdade de expressão.

Tiago Laranjeiro | 16:34

Hugo, o teu comentário quase que merecia ser apagado devido a linguagem imprópria. ;)

Abraço!

Rui Vítor Costa | 17:24

Meus caros, e respeitosos bloggers da Colina Sagrada, esquecendo propositadamente pueris polémicas, devo-vos dizer que acho a ideia genial. Excêntrica é certo, mas absolutamente genial.
Em primeiro lugar porque aprecio a "loucura" subjacente ao concurso (se fosse nos EUA estaríamos certamente a comentar com outra leveza).
Em segundo lugar vai tornar mais conhecida a rádio e a funerária. Não tardará que as tV's apareçam. Portanto, do ponto de vista comercial, um achado.
Acho, sinceramente, mais mórbido, no nosso estádio, a publicidade a uma funerária concorrente ... quando o Vitória está a perder.
"Gozar" a morte é uma maneira de a espantar.
Abraços.

Tiago Laranjeiro | 17:31

Caro Rui Vítor,

Mas nenhum de nós (penso eu) duvida da eficácia da campanha para promover o grupo e mesmo a funerária. Desse ponto de vista, a campanha é já um sucesso, pois foi falado nos principais órgãos de comunicação do país e gerou dezenas de artigos em blogues, tweets, comentários, etc. Desse ponto de vista, o êxito está alcançado.

O que não me parece que seja é uma publicidade que promova uma boa imagem do grupo...

Rui Vítor Costa | 17:52

Essa é outra questão Tiago. De qualquer forma não acho que o Grupo Santiago tenha que ter um cuidado especial com a sua imagem, no sentido em que a colocas. É um grupo empresarial como outros, não é propriamente a presidência da República. Se reparares empresas como a Google (salvaguardando as naturais distâncias) é muitas vezes excêntrica na forma de estar e nos conteúdos.
Deixa-me, para finalizar, dizer-te que acho lamentável que uma opinião como a que expuseste possa ser atacada como foi. Esse é o triste reflexo de uma cidade que tem tudo para ser grande, mas que teima em querer ficar pequena. Pode ser que isto mude...

Hugo Monteiro | 18:10

Parece que passou a ser moda os media nacionais só virem à "província" para relatar "esquisitices". A ideia até pode ser interessante enquanto chamariz. A nível técnico, de design, por exemplo, está miserável.

Samuel Silva | 18:32

Rui Victor,

teremos certamente conceitos distintos de genialidade. A genialidade implica bom gosto ou, pelo menos, a exploração do mau gosto do ponto de vista estético. Não me parece que aqui seja o caso.

É verdade que a Santiago consegue publicidade e notoriedade. Mas publicidade à custa de uma ideia destas é escusada.

Suponha-se: amanhã um de nós vai à Casa da Música, despe-se, passa pelas cadeiras da plateia à Benini nos Oscares e aterra no palco, abraçando-se à artista que estiver em palco. Tem publicidade? Tem, sim senhor! Valeu a pena? Só se estiver com vontade de ser humilhado.

É mais ou menos assim que vejo o caso. Publicidade desta a Guimarães, não obrigado. Se a Bigger calhasse de fazer a divulgação da CEC 2012 ia ser bonito...

Hugo,

Se levarmos a discussão para o campo técnico será ainda mais deprimente. Mas podemos tentar, mesmo que nos acusem de pretensiosimos. ;)

Samuel Silva | 18:34

Uma dúvida que me assalta: o funeral é católico? E os ateus? E inclui um lençol para o caso de sair a um muçulmano?

Anónimo | 18:53

O PSD apresentou, para as Europeias, uma das piores "imagens" (em termos de campanha, de suportes de comunicação), no entender de certos entendidos, iluminados... mas ganhou!

A Santiago, melhor do que ninguém, percebe os mecanismos da choldra portuguesa. E esta coisa do funeral chega oportunamente

Rui Vítor Costa | 20:07

Samuel,
Penso que estás a ter uma visão muito sisuda das coisas. Aqui o golpe de génio (e de humor) é claro: vai conseguir a publicidade a que se propôs, e o muito que se tem comentado o post do Tiago é uma prova disso. E esse era o objectivo, ou não era?
Eu penso que o que está a "envenenar" esta troca de ideias é a proximidade que todos temos uns dos outros. Tanta ela é, que até cobardemente já te oferecerem porrada.
Não nos conseguimos desligar das pessoas, e isso é mau.
Vê-me este exemplo em http://tapdny.com/media.php: em Nova Iorque, há bem pouco, houve um indivíduo que decidiu engarrafar a água municipal da própria cidade. E então? Absurdo, louco, mas genial, sem dúvida. Tem feito um dinheirão, através de uma ideia absurda que se veio a revelar um autêntico ovo de Colombo. Estamos a falar de publicidade e não de uma obra literária!
E é por aí que se deve avaliar esta campanha. Penso eu...

Tiago Laranjeiro | 20:24

Rui Vítor, a maior proximidade que eu tive do Grupo Santiago foi uma feliz experiência quando andava no 9º ano. Era um dos dois ou três dinamizadores da Rádio Escola na Egas Moniz e, através da professora responsável (penso que era a irmã da Vereadora da CDU), fui participar num programa da rádio Santiago.

Guardo as melhores recordações dessa manhã. Também sou um leitor assíduo do Comércio de Guimarães, e visitante diário do Guimarães Digital. O grupo é uma referência nos média da região. Daí não ter gostado particularmente desta iniciativa, como aqui o disse.

Estes anónimos que aqui vieram comentar num tom ofensivo, como o fizeram à mesma hora noutro blogues de Guimarães alguma ligação terão certamente ao grupo, pois é estranho que quando lhes tecem críticas venha sempre alguém insultar o crítico. Não sei quem faz isto, e lamento que assim aconteça, mas o problema aqui não me parece que seja dessa proximidade, dessa suposta familiaridade que nos faz a todos cúmplices uns dos outros.

João | 21:23

Por falar em publicidade. Alguém leu a edição da National Geographic deste mês?Abram a página 9 e vejam a bandeira do maior e melhor clube de Portugal!

Tiago Laranjeiro | 21:44

Ainda não tive oportunidade de ver a National Geographic deste mês, mas já reparara que a reportagem que faz capa é sobre D. Afonso Henriques.

Rui_P07 | 22:56

Apenas a versão portuguesa claro!

Já li o artigo e está muito bom, muito mesmo!

Samuel Silva | 00:43

Rui Victor,

Acho a ideia absurda. Aqui, em Braga, em Mafra ou em Kuala Lumpur. A minha opinião seria sempre a mesma. Talvez não a comentasse neste blogue, porque ele se reporta preferencialmente a Guimarães. Quanto ao mais, tudo igual.

Anónimo | 09:43

Cheguei agora da Turquia (espero não trazer a A) e uma turca deu-me um slogan: "se a tua sogra é uma jóia, eles têm a caixinha certa!". E a menina mostrou-me uma urna. Gostei.

Francisco P. S. Brito | 23:52

Cheguei a esta polémica algo atrasado mas não posso deixar de fazer um breve comentário: porque é que, para o impacto desta fantástica campanha de marketing ser maior, não se solta e sorteia um porco untado com sebo no funeral do vencedor? Certamente ira dar mais ânimo a uma cerimónia tradicionalmente triste (pelo menos para os familiares e amigos do “vencedor”) e, para além disso, iria atrair, novamente, a atenção da populaça e dos merdia…

Cumprimentos,

Francisco Brito