Negócio seguro?

O Vitória vai abrir um novo espaço na galeria comercial S. Francisco. A loja destina-se à Vitória Seguros. O dito centro comercial é propriedade do presidente do Vitória. A dita loja é uma das maiores do dito centro e estava vazia há quase um ano.

Pergunta-se:

- Quanto custa o negócio ao Vitória?
- Era realmente necessário alugar uma loja grande para um serviço deste tipo?
- Para que serve, afinal, o património do clube? O estádio não terá lugar para os serviços de Seguros?

5 reacções:

Vimaranes | 23:44

A última questão é, sem dúvida, aquela que considero mais pertinente. Até atendendo aos espaços que há e que estão desocupados dentro das instalações do clube.

Tiago Laranjeiro | 00:55

Desculpem-me a ignorância: o que é a Vitória Seguros? Um agente de seguros do Vitória S. C.?

Pantic | 13:35

É uma companhia de seguros aonde os sócios do Vitória têm desconto.
Realmente não sei porque não rentabilizam aqueles espaços vazios do estádio.Ainda por cima o estádio fica localizado em pleno centro da cidade.Este assunto merece ser conhecido pelos Vitorianos e explicado pela direcção.

Samuel Silva | 13:35

Caro Carlos,

A última questão entronca com as restantes. Se o negócio for bom, com um bom preço, pode justificar ter uma loja num local de grande visibilidade.

Mas, de facto, a grande ideia vendida antes do Euro 2004 era a de que os estádios serviriam de fontes de receitas através da criação de áreas comerciais e afins. O nosso estádio, exceptuando a empresa de águas, não tem mais nenhuma fonte de receita, apesar do muito espaço existente.

Caro Tiago,

é mais ou menos isso. Trata-se de uma agência de seguros da Axa, vendidos com o nome do Vitória, com condições especiais para sócios.

Samuel Silva | 13:38

Pantic,

engraçacdo, escrevemos ao mesmo tempo.

O presidente parece que vai estar num debate no S. Mamede. Vai ser a oportunidade de lhe colocar esta questão publicamente.