Da rivalidade

No debate sobre a rivalidade Guimaraes-Braga que o CAB organizou na quinta-feira, o vereador da câmara de Braga Ricardo Rio usou uma imagem interessante para definir a relação entre as duas cidades: são como irmãos-gémeos. Eduardo Brito explorou a ideia: tal como os irmãos, tendem às deavenças. Acrescento eu: como irmãos, devem ser capazes de unir esforços na altura certa.

Esta é a altura certa. As duas cidades são microscópicas em termos europeus. A cidade de Braga tem 90 mil habitantes, Guimarães tem 70 mil. As terceiras ou quartas cidades de outros países europeus têm populações de várias centenas de milhar. Casos de Valência (800 mil), Toulouse (435 mil) ou Utrecht (300 mil). Apenas cidades "insignificantes" como Sabadell, Limoges ou Zwolle têm populações de 150 ou 200 mil habitantes.

Daí que faça sentido que as duas cidades se assumam como um único pólo urbano no contexto europeu. Só assim ganhariam escala para competirem a nível europeu. Assumindo-se como um espaço urbano de 160 mil habitantes (323 mil se contabilizarmos os concelhos).

Além disso, há área urbanas mais extensas do que a estrada que liga as duas cidades. Do porto à catedral de Valência distam 12 quilómetros, do Aeroporto ao centro de Limoges são 12 quilómetros. Do canal Norte ao centro de Utrecht vão 12 quilómetros. Ou seja, há condições objectivas para que pensem e actuem em conjunto.

Há condições objectivas para que as duas cidades partilhem funções (Braga é capital de distrito, mas o Tribunal da Relação está em Guimarães, por exemplo) ou sejam complementares (em termos de oferta cultural, TC e CCVF são-no).

Se afastarmos a rivalidade da equação e a deixarmos cristalizar no mundo do desporto (onde sou defensor de uma rivalidade saudável, mas real, entre os representantes de Braga e Guimarães), existem possbilidades de esta área do Baixo Minho passe a ser um espaço reconhecido na Europa.

6 reacções:

Valente | 10:29

Relativamente à ligação Guimarães-Braga não me parece que seja essa a ideia do Governo, basta olhar para o mapa das Nut 3 - Ave, Guimarães está muito mais ligado a Vila Nova de Famalicão (por exemplo)que a Braga.

Callaeci | 20:47

Caro Samuel,

Ao contrário do que escreve, segundo o INE, a cidade de Guimarães só tem cerca de 50.000 habitantes. A cidade de Braga tem mais do dobro.

Não puxe a brasa à sua pequena sardinha, seja rigoroso e consulte as fontes à semalhança do que o fez para confirmar o Sporting de Braga como vencedor da Taça Intertoto.

Cristina Sousa | 22:16

O rigor, deve, efectivamente, estar presente. No entanto, n.ºs à parte, o que realmente releva é a ideia de cooperação. Só assim será possível, quer a Braga, quer a Guimarães avançar e crescer. Basta deste "orgulhosamente sós" regional.

Mais uma vez, parabéns pela profícua participação no debate.

Samuel Silva | 23:08

Os dados que utilizo são dos censos de 2001, portanto oficiais.

Callaeci | 09:31

Meu caro,

É precisamente o INE o responsável pelos Censos 2001.

Resultados e comparações Censos 2001 (Guimarães com 50000 habitantes na cidade):
http://www.cm-guimaraes.pt/PageGen.aspx?WMCM_PaginaId=4056

Braga entre as oito cidades com mais de 100000 habitantes:
http://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_destaques&DESTAQUESdest_boui=73184&DESTAQUESmodo=2

Estatística da população das cidades portuguesas:
http://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes&PUBLICACOESpub_boui=42947878&PUBLICACOESmodo=2

Seja sério!!!

Samuel Silva | 11:10

Já vimos que consigo as duas cidades bem podem continuar a ser insignificantes como, de facto, são a nível europeu.

Guimarães tinha, em 2001, os 60 mil habitantes na cidade que refiro. O INE não contabiliza áreas perfeitamente integradas na malha urbana. Hoje, ultrapassa esse número.

Não se trata de puxar a brasa à minha sardinha, mas à nossa. Percebo que é o postura que aqui demonstra que impede as duas cidades de caminharem numa só direcção.

Felizmente, são cada vez menos os localistas.