Até quando?

Tinha deixado aqui a sugestão. Os Peixe:Avião, a banda que está a surpreender o panorama musical português, estiveram no CCVF no sábado. Estive lá, a ver ao vivo como a banda está a crescer. Muita evolução desde o concerto no Barco Rock Fest e a certeza de que 40.02 é um dos melhores discos de estreia que ouvi em Portugal.

Muito bom o concerto, pois. Para quem o aguentou. O Café Concerto do CCVF não é um espaço para cultura. Não basta mudarem a disposição das mesas e abrirem caminho até ao palco. Nem é o facto de metade da sala estar na conversa enquanto Ronaldo Fonseca apresentava o extraoridnário “Barbitúrica Luz”. O que incomoda é ir a um espaço público carregado de fumo.

Há extracção que justifique a possibilidade de fumar na sala? Se há, funciona mal, tal era a nuvem de fumo que o Café Concerto apresentava. Houve quem tivesse aguentado aquilo até ao fim (o concerto assim o pedia). Mas houve também quem se tivesse sentido mal.

Não contem comigo para continuar a pagar entrada num espaço assim. Enquanto se fumar ali dentro, é um espaço riscado do meu roteiro pessoal. Até quando?

10 reacções:

Pantic | 12:31

No Sábado tive que optar e optei pelos Fragmentos no S. Mamede e lá ninguém fumou.

João | 14:13

O concerto valeu bem a pena o esforço para suportar o fumo!

No fim do concerto fui logo para a parte exterior porque os meus olhos já ardiam... Desde 1 de Janeiro que, quase, só frequento espaços sem fumo.

E ali não há extracção de fumos de jeito.

Alem do mais não percebi porque não se usou o pequeno auditório. Teria muito melhores condições para acolher o concerto e não havia fumo!

Já agora, em Novembro, dia 14, teremos no São Mamede os X-Wife, que estão em grande com o novo álbum. Parece que afinal o São Mamede não morreu!

casimirosilva | 14:32

Foi terrível, de facto. Um amigo meu, que veio do Porto de propósito para assistir ao concerto e que até é fumador estava indignado com o que viu.

casimirosilva | 14:45

ou seja, com o fumo que respirou. Porque do concerto ele gostou.

Hugo Monteiro | 23:38

Não sei se tinha gente suficiente para justificar o Pequeno Auditório... Nem sei se estariam todos dispostos a darem 7,5 euros para lá entrarem. Estas coisas só com tempo. De qualquer forma, o fumo deu-me cabo da saúde (literalmente).

ivan | 00:39

sou fumador, estive presente, mas até eu já me desabituei de espaços com fumo. fugi mal acabou, não aguentava.

em relação aos peixe, tinham gente para o pequeno auditório, mas houve indiponibilidade de o ceder..

Kyrgyzstan | 18:47

Samuel, aqui em Mirandela são raros os cafés em que não se pode fumar. Uma lei, dois países.

Riot | 18:49

Os espaços onde inicialmente era proibido fumar e, sem que nada o justificasse, passou a ser permitido, têm vindo a multiplicar-se.

Está na hora de se começar a fiscalizar as coisas como deve ser. Não tem condições, não se fuma. Por exemplo, o BA de Braga, na zona do bar, é verdadeiramente insuportável.

João | 23:05

Estavam cerca de 100 pessoas a ver o concerto. E porque teria que ter os bilhetes a 7,5 no pequeno auditório?

Hugo Monteiro | 18:36

joão:

Tenho a ideia que os bilhetes para o pequeno auditório são mais caros. Mas posso estar enganado.