"Vocês afinal sabem onde é Fafe"

A frase é de um responsável da Câmara de Fafe e foi assim que recebeu os jornalistas das televisões que ontem chegam à cidade para cobrir a morte de um trabalhador nas obras de renovação do tribunal local.

Os jornalistas só se lembram de cidades como Fafe quando há sangue ou borrasca. E ontem, não fosse o JN ter dado a notícia on-line (com uma excelente cobertura do Carlos Rui Abreu, que pôs o site do JN a fazer ciberjornalismo como raramente é capaz), Fafe continuaria a ser uma cidade do interior (mesmo que a 60 quilómetros do Porto), onde não há notícias para dar.

Como houve sangue (ainda por cima num espaço do Estado), numa hora havia carros de exteriores, directos e uma dezena de jornalistas à porta. Às vezes sinto-me incomodado com esta profissão...

4 reacções:

Anónimo | 12:04

há porta e à porta lá estão os necrófagos

Samuel Silva | 12:10

Erro lamentável. Entretanto alterado.
Necrófagos? Talvez sejamos mesmo isso...

SicGloriaTransitMundi (Miguel Silva) | 15:23

Infelizmente, hoje em dia, são essas as notícias que passam...

E o povo come...e cala!!!

Como em tantas coisas na vida!

Dario Alexandre de Sá e Silva | 23:49

Mas toda a gente devia saber onde fica Fafe!... chega-se lá por duas vias rápidas.

Para prevenir tamanho dislate, quero aqui deixar a sugestão de que, nos próximos programas escolares, os alunos possam trocar o conhecer o nome dos rios, das serras, das capitais de distrito pelo número das auto-estradas... a geografia que verdadeiramente importa conhecer.

A quem chumbasse dava-se uma Nova Oportunidade.
E assim indefinidamente até que vomitassem asfalto. Aprovado com distinção.

dario Silva.