Fechado


O plantel do Vitória para a próxima época está aparentemente fechado. Com as entradas dos ex-befiquistas Nuno Assis e Luís Filipe parecem encontrados os sucessores de Alan e Ghilas. Os 25 jogadores que hoje serão inscritos na UEFA vão assim defender as cores do clube na pré-eliminatória da Champions que está já aí à porta.

E a uma semana do mais importante jogo da história recente do clube, importa perceber qual é o saldo do defeso. A meu ver é positivo. Sairam Geromel, Ghilas, Alan e Miljan. Entraram quatro jogadores para os mesmos lugares e mais um joker que, pelos primeiros apontamentos, pode ser um caso sério (Jean Coral).

Se o miúdo brasileiro me encantou, o mesmo se pode dizer do companheiro de ataque Douglas. É, à primeira vista, muito melhor que o sérvio. E por aí o Vitória fica melhor servido. Tal como Nuno Assis (descontando a cena triste protagonizada aquando da saída e o episódio com doping, pelo menos chega a título definitivo), que é melhor (muito melhor) que Ghilas e tem a capacidade de construção perdida com a saída de Alan.
No entanto há perdas irreparáveis que preocupam nesta fase.

Não há muitos Geromel disponíveis, é certo. Mas Gregory não está sequer perto da qualidade do agora jogador do Colónia. Moreno é uma solução de recurso que temo não funcione. E esse sector perdeu, além do mais, profundidade. Sairam Márcio e Radanovic também, mas não chegou mais nenhum central.
O outro problema do plantel é a carência de extremos. Não há um único extremo esquerdo (Desmarets não conta, é médio) e os que existem dão-se pior a jogar "do avesso" do que Alan. Falta ainda um "abre-latas", um jogador desiqulibrador para resolver um jogo fechado. E há um défice físico face ao Basel que é necessário recuperar. Mesmo assim, e porque o sorteio foi positivo, há condições para continuar a ser feita história.

1 reacções:

Benjamin Violante | 10:55

"... capacidade de construção de Alan"?!
Dá vontade de rir... Disso, e dos cruzamentos de olhos fechados. Ou será melhor dizer pontapés para a área?!