A dor de cabeça da N101

Bom trabalho o do Comércio de Guimarães sobre as dificuldades na ligação rodoviária de Guimarães às Taipas. Parece-me um excelente ponto de partida para trazer para a agenda um tema premente para o desenvolvimento do concelho: o estrangulamento da N101.

A questão não é pontual. Não são as obras da conduta de água que tornam a N101 um suplício. A estrada está mesmo mal estruturada face à realidade actual e justifica uma solução urgente e com capacidade de ser duradoura. E esta é uma ligação essencial. É a estrada que liga as duas maiores cidades do Norte extra-Porto, com uma Universidade que se desenvolve entre elas, com pólos de Desenvolvimento de futuro a nascerem nos últimos anos que serão capazes de mudar a face da região e do país.

A auto-estrada, porque demasiado cara, não resolveu os problemas de ligação a Braga. O tráfego mantém-se na N101 e em horas de ponta, chegar de Guimarães às Taipas, é uma "dor de cabeça". Excesso de tráfego, área densamente povoada, mau piso. Nos últimos anos o problema acentuou-se com a instalação de várias superfícies comerciais à face da estrada e a ausência de soluções que permitam melhor circulação.

Por isso é urgente renovar a N 101. Entre Guimarães e Braga, mas principalmente entre a cidade Berço e as Taipas. E as Taipas, o segundo centro urbano de Guimarães, e o Ave Park, como embrião de uma nova identidade do concelho, justificam uma ligação rodoviária rápida e de qualidade. Que só peca por tardia.

Até porque a ideia não é nova. Só está há demasiado tempo nas gavetas de Santa Clara.

1 reacções:

sicgloriatransitmundi | 12:29

Também eu noutros tempos sofri com a falta de qualidade da única (na altura) ligação a Braga...

O problema também se deve, a meu ver, com o facto de que, a referida estrada liga 2 concelhos, que apesar de, gerido pelo mesmo partido, tem já uma rivalidade ancestral...

Além disso, são mais as pessoas que usam a estrada de cá para lá do que o contrário...