Quem precisa de um subsídio sou eu

O São Mamede vai, aos poucos, anunciando a programação para o mês de abertura. E não faltam coisas boas. Aos já anunciados Nouvelle Vague e David Fonseca, juntam-se Ana Moura, no espectáculo de abertura. E, soube-o hoje, o grande JP Simões.

Tenho um problema com esta oferta de qualidade: onde vou arranjar dinheiro para ver tanta e boa música na cidade? E esta é uma pergunta que devem fazer muitos vimaranenses, pensando que o
CCVF e o Multiusos também têm tido coisas boas e o Circo está aqui ao pé. Temo que tanta oferta vá acabar em comensalismo. E quem fica a precisar de um subsídio para a cultura sou eu.

Novidade assinalável na programação do S. Mamede é a actuação, no dia 26 de Dezembro – data arriscada – do quarteto vimaranense
4 Swing. As casas municipais de cultura têm virado costas ao que se faz dentro de portas e é, mais uma vez, um espaço de iniciativa privada a fazer o serviço público. Por lá passam ainda a brasileira Lilian Raquel, o gospel de The Black Heritage Singers, Fatucha Overacting Duo e os portuenses Ad Hoc Trio.

1 reacções:

hguimaraes | 11:43

Não és só tu que se está a perguntar onde vai arranjar dinheiro e disponibilidade para tanta coisa boa tão junta. É sem dúvida um arranque em grande força. Só espero que de Janeiro em diante haja pelo menos 1 ou 2 espectáculos fortes por mês.