“Meca da mediocridade”

Jóia da coroa da Cidade Desportiva vimaranense e uma das “meninas dos olhos” do executivo autárquico, o Multiusos de Guimarães converteu-se nos últimos dois anos numa espécie de “Meca da mediocridade”.

Concertos de baixo nível – é quase a segunda casa da família Carreira, além de acolher amiúde aquela demonstração de mau gosto musical português que são as bandas saídas de telenovelas –, musicais deprimentes e uma total ausência de eventos desportivos de grande envergadura, tornam o Multiusos de hoje uma sombra da vitalidade com que deu os primeiros passos.

Nos primeiros anos, o Multiusos foi uma aposta ganha. Atraiu grandes eventos desportivos – é a sua função primordial, não estivesse incluído na Cidade Desportiva –, como o Mundial de andebol, a Liga dos Campeões de hóquei em patins e Liga Mundial de voleibol; foi palco de excelentes concertos e tornou-se o espaço que faltava para feiras e eventos do género na região.

Por isso, o balanço dos primeiros cinco anos do Multiusos é positivo. Mas a verdade é que espaço multifuncional vimaranense parece ter entrado nos últimos dois anos num período de definhamento preocupante.

O espaço mantém – e bem – a programação habitual de feiras sectoriais, continua a acolher eventos com o excelente nível da Feira de Artesanato. Mas falta algo mais. Primeiro que tudo falta inovação. O Multiusos parece confortável na posição que realmente ocupa, mas este sinal de acomodamento nunca é bom num espaço que se quer vivo.

Depois, falta capacidade para voltar a atrair grandes eventos. E falta qualidade ao que por lá se passa. Há quanto tempo o Multiusos não recebe um concerto de música a sério? – excepção feita à Recepção ao Caloiro da UM. E há quanto tempo não passam por lá grandes desportistas? È que de há uns tempos a esta parte, eventos desportivos de grande nível é uma miragem por estas bandas…

18 reacções:

Ergolas | 22:16

Ora nem mais!

Não percebo o que aconteceu com o Multiusos, e o que acontece com o CCVF. Parece vontade dos socialistas vimaranenses deixar decair estes espaços, não lhes inovando na gestão e na dinamização. Ainda assim, haja esperança!

Spicka | 15:23

Eu acho que o Multiusos nem sequer começou bem, por causa do nome! Multiusos faz lembrar uma pavilhãozeco qualquer que qualquer terriola tem. Mas não, o "nosso" Multiusos é um grande pavilhão, com excelentes condições!

Quanto à programação, acho também que nunca foi nada de especial, nem mesmo nos primeiros cinco anos... Não me lembro de absolutamente nada que me tenha marcado naquele pavilhão. Nada! No entanto noto que desde há algum tempo atrás até agora, não é que a qualidade tenha diminuido, mas o número de eventos é quase nulo...

Não sei, nunca pensei muito bem neste assunto, embora já me tenham passado pela cabeça ideias para aproveitar o espaço do Multiusos. Por exemplo, parece-me um excelente local para fazer uma feira anual, bienal, trienal, (...), de artes plásticas! Por exemplo!

Temos de nos contentar com a aberração da ExpoTunning... E os concertos do Tony!

Francisco Rodrigues | 21:17

O Multiusos de Guimarães é um espaço excelente. Já vi lá um concerto dos Moonspell numa Recepção ao Caloiro. O concerto foi memorável e fiquei muito bem impressionado com o espaço. Tem imenso potencial, só precisa de ser bem gerido.

Anónimo | 09:59

Em cinco anos, o Multiusos já teve 240 eventos e por lá passaram 1 milhão e 300 mil pessoas. Para ser mais expecífico: 58 competições desportivas, 47 concertos, 47 feiras, 42 congressos e 45 espectáculos diversos. E para ser ainda mais específico, recordo que em 2006 passaram pelo Multiusos, entre muitos outros, Roberto Carlos (dois concertos com lotação esgotada), Noddy (dois espectáculos com lotação esgotada), André Sardet (lotação esgotada), o Robótic'2006 (considerado o melhor de sempre), o Campeonato do Mundo de Enduro e o Campeonato Europeu de Basket Universitário. Conhecem algum Multiusos neste país que apresente taxas de utilização como o nosso? Sabiam que somos considerados, ao nível deste sector, um exemplo de gestão e de sucesso ao nível das taxas de ocupação de um espaço com estas características? É tão fácil criticar...

Spicka | 13:33

Hummm! Não penso que seja fácil criticar. Penso que é bom criticar, para que se melhore!

É mais que sabido que os vimaranenses nunca estão bem com aquilo que teem, e querem sempre mais e melhor. Acho que temos o direito a isso! Quando queremos falar sobre o Multiusos, temos de fazer comparações! E com quê comparar? Há, já sei, Pavilhão Atlântico!

Ninguém duvida que o Pavilhão Multiusos tem boas taxas de ocupação e coisa e tal, mas nós queremos mais! E queremos mais que Roberto Carlos ou André Sardet ou ExpoTunning...

Não merecemos?

Anónimo | 20:59

Comparar com o Atlântico?... E porque não com o Paris-Bercy ou o Palau de Saint Jordi, em Barcelona? Como é possível comparar o Multiusos de Guimarães com um pavilhão que tem o dobro da lotação e que está localizado numa região com mais de um milhão de habitantes? E já agora, se Roberto Carlos, Tony Carreira, André Sardet e tantos outros não prestam, porque é que o Atlântico também os recebe? Huumm, cheira-me a elitismo... só é bom aquilo que eu gosto.

Anónimo | 23:02

O multiusos foi bom nos primeiros cinco anos porque era preciso ganhar eleiçoes e assegurar tachos e agora é preciso poupar para gastar quando houver autárquicas. Se aquilo é um exemplo de gestão e de sucesso (que entidades sérias o atestam ? Onde estão publicados os resultados financeiros de todos os anos ? Estará a caminho de Guimarães o Prémio Nobel da economia ?) vou ali e já venho.

Anónimo | 23:27

Em 2006 foi atribuído à Tempo Livre o Prémio Nacional de Gestão Desportiva, iniciativa da APOGESD (Associação Portuguesa de Gestores de Desporto); as Contas da empresa são fornecidas a todos os seus cooperantes e são discutidas na Câmara e Assembleia Municipal, como foi o caso da última; falar de eleições e de "tachos" numa altura destas é típico de quem não tem argumentos: tenta iludir-se a realidade lançando uns "clichés" que agradam a meia dúzia. Mas vá lá que alguém pelo menos reconhece que os cinco primeiros anos foram bons...

Anónimo | 15:17

Apogesd ? Quê isso ? Seja sério e fale de coisas credíveis. Aí que as eleições e os tachos o enervaram

Anónimo | 16:31

Se a APOGESD, associação de classe que reúne todos os gestores desportivos nacionais e professores catedráticos das faculdades de desporto não é credível, então quem é? Ou será que a sua opinião é a única para ser levada a sério? Começo a perceber que o sucesso do Multiusos enerva muita boa gente...

Anónimo | 23:01

deves ser um dos tachistas.
essa associação deve ser o máximo lol e tem base, critérios, parâmetros científicos para o prémio ?

Paulo Silva | 01:08
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo Silva | 17:59

Estou espantado. No que diz respeito ao texto concordo contigo. Mas os meus projectos para o multiusos e outros espaços assim em Guimarães vao ser apresentados em tempo e sede própria nao tarde :)

Mas o que me espanta é isto: á distância a que estás ja conseguiste pôr em Guimarães um dos 500 homens "caça-informação-anti-câmara-e-defende-com-numeros-e-premios-para-calar-as-pessoas" a visitar o tue blog e a levar a tua opinião muito a sério. Viva a Democracia :)

Ergolas | 03:15

Caro Paulo Silva, "em tempo e sede própria" soa-me bastante mal... Qual é a sede própria para falar de algo que pertence a Guimarães e que a Guimarães diz respeito? A sede do PS ao Largo do Toural? Não me parece que seja tanto assim...

Quanto ao "caça-informação-anti-câmara-e-defende-com-numeros-e-premios-para-calar-as-pessoas", parecem-me bons os seus argumentos. Não é assim que os vai calar. Não é por aí...

Não sou tão pessimista (ou elitista, neste caso, segundo alguns) como o Spicka. Acho que o Multiusos consegue ir tendo, de longe a longe, um espectáculo de interesse. E o objectivo do Multiosos não é, contrariamente a outros espaços vimaranenses, "cultivar" as pessoas. Só que me parece que se tem caído num excesso de falhanços sucessivos, numa série de espectáculos que não se concretizaram. E não atirem as culpas para o público. Isso não pega. Será altura, penso, para reflectir, antes que o espaço decaia.

Paulo Silva | 17:52

Quanto ao tempo e sede própria, vai ter que esperar como os outros. Posso-lhe dizer já que não na sede do Toural, não é no Partido Socialista, e não é baseado em qualquer conversa de café, tasco, reunião informal. Mas tal como disse, em tempo e sede própria voltarei ao assunto.
Já quanto ao tal homem do nome complicado: nem eu questionei os seus argumentos. São numeros, são prémios, são factos. Agora, apresentem-me numeros de Tonys Carreiras e Andre Sardett, e mostrem-me o estudo de quantos habitantes da cidade de guimaraes estavam, quantos habitantes do concelho estavam? Nao se sabe. Eu aposto numa percentagem bem alta de gente fora de Guimaraes, de concelhias vizinhas.É bom porque atrai gente a guimaraes? os meus parabens gosto da ideia. Mas nao estará na hora de fazer programações viradas para dentro? para os gostos dos habitantes da cidade?

Paulo Silva | 18:23

Ja agora, diria ainda que se em todas as sedes do toural (e das costas dele) se discutisse Multiusos, talvez esta conversa nao se passasse no colinasagrada mas sim em qualquer microfone de uma assembleia municipal..

Ergolas | 17:04

Caro Paulo Silva, em primeiro lugar, peço que me trate(s) por tu.

Se achas - permite-me que te trate eu por tu - que não se discute os problemas do Multiusos (e do CCVF, e de outros espaços mais) nas outras sedes do Toural, acho que deverias estar mais atento ao que se vai dizendo na AM...

Ainda assim, acho que este é um espaço de discussão por excelência sobre os problemas da cidade, e então, do Multiusos também.

Agora quanto ao anónimo: afinal, Paulo, estás contra ou a favor dos argumentos que ele apresenta? Está contra ou a favor das críticas por ele (o tal que está a criticar, e não o outro anónimo não anónimo que defende) apresentadas?

Estou de acordo contigo, em parte. Mais espectáculos para a cidade. Mas mantendo espectáculos para a região, pois só assim nos conseguiremos impor no lugar por nós merecido dadas as estruturas e infra-estruturas de que dispomos, no panorama cultural nortenho.

Mais espectáculos, e mais espectáculos de qualidade, é o que desejo. Mantendo o género de programação actual também, pois chama um outro público que não podemos ignorar.

Quanto à sede e tempo próprios, quanto ao tal projecto, aguardo.

Paulo Silva | 20:59

Quanto à AM, prometo redobrar atenções. Mas discussão aberta sobre a programação do Multiusos, acredito que tenha havido mas escapou-me.
Quanto ao senhor anonimo da defesa da camara, nem a favor nem contra. São factos. Espero, e acredito eu, que verdadeiros.
Quanto ao outro senhor dos tachos, acho que realmente são o tipo de criticas que nao gosto de comentar. Normalmente são mal fudamentadas, atiradas para o ar "a ver se colam". Claro que não nasci ontem e sei bem como as coisas vão funcionando infelizmente...
Quanto à minha opinião, não digo que não se façam espectaculos do segmento dos Carreiras, nem do segmentos dos tunings - serão o mesmo? - mas acho quem em Guimarães só ha extremos. Ou o "popularuxo" do multiusos, ou o elitismo do CCVF... Acho que há muitas areas por explorar da cultura , nesta cidade.
Há tipos de bandas, tipos de música, tipos de cultura, que simplesmente não chegam a Guimarães. E se calhar algumas delas abriam outras portas, visto que a aposta numa cidade com Universidade e Universitáiros nunca foi feita. Isto dando apenas um exemplo de um público que ainda nao teve grande aposta na "cidade-berço".